quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Volto a Pessoa. E não quero ir sózinho!

Sempre que o coração aperta, que a garganta tem um nó, que a vida é madrasta, que me sinto perdido, tento lembrar-me da essência das coisas, tento regressar ao básico, centrar-me nos principios e reconstruir-me e fortalecer-me com os ensinamentos que reconheço como válidos ou sábios e com a minha própria experiência. Sempre que a confusão se instala e o medo espreita, sempre que é preciso dar resposta a mim próprio, sempre que o meu mundo é ameaçado, sempre que sinto o risco e o pavor da perda, eu volto a Pessoa.

“Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,
mas não esqueço de que a minha vida é a maior empresa do mundo.
E que posso evitar que ela vá à falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um “não”.
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo... ”

"Ser feliz" de Fernando Pessoa

Lua, vem comigo!

Fiquem bem, à lua da Lua

2 comentários:

Mukanda disse...

Lindo, "nosso" Hugo!
Besos
Mukanda

Rogério Charraz disse...

Esmagador esse Pessoa...

Vai com ele, Lua!